Resposta que podia ter sido e que não foi

Um dia eu critiquei o Kujawski e ele me mandou um e-mail que mal chegou em minhas mãos (ou olhos!). Na época eu não conseguia acessar o Outonos de meu computador e recebi a mensagem tempos depois, em formato texto, toda quebrada, reenviada por um leitor. Fiquei com preguiça mental de responder. Kujawski, o próprio, em carne, osso e caracteres, dizia-me, por meio de ironias várias, indiretamente, que eu era um serzinho ignorante que nada sabia de Oriente Médio e assuntos mundiais, muito menos de filosofia política. Dizia que eu devia mesmo ser muito sábio para ficar discutindo aqueles assuntos tão abrangentes com tanta desenvoltura.

A resposta que eu queria ter dado a ele, mas que não me ocorreu à época, é a seguinte. Aprendi com o Adler que, para saber que um sujeito está falando bobagem sobre um assunto, não preciso nem ao menos ser um expert no tal assunto. Basta saber um pouco de dialética.

P.S.: Horrorizaram com o preço do livro? Eu também. Quando eu o comprei por 20 dólares, não sabia que era uma raridade. Mas acho que até 85 ele vale. Se alguém for louco de pagar, é claro!

Advertisements