Agora há pouco

Fui acometido por um intenso sentimento de felicidade. A culpa foi da minha cadelinha. Ficou tão feliz depois de passear pelas ruas do bairro que, mal chegou em casa, disparou a correr, a língua solta, os olhinhos fumegantes, o bumbum emborcado para pegar impulso.

E São Paulo ficou para trás. Até hoje penso nisso.

Quem pensou também foi a minha mulher. Pensou isso aqui: “Natal em família é um saco. Acho que todo mundo devia passar o Natal com a família dos outros.”

Advertisements