Feeds:
Posts
Comments

Archive for October, 2015

Putz

Metade das coisas que leio sobre o Brasil e o mundo tem me suscitado apenas um tipo de comentário: “Ai, velho…” ou “Putz.”

Aliás, isso me faz lembrar um professor de literatura que eu tinha no segundo grau. Ele se chamava Feitosa e gostava de fazer trocadilhos infames. Sempre que fazia um trocadilho assim, um rapaz do “fundão” bradava: “Putz.”

Acho que foi ali que eu comecei a gostar de literatura, pois, embora eu não gostasse muito dos trocadilhos e do lirismo meio barato do professor, a figura daquele playboy chato do fundão dizendo “putz” logo me suscitou uma simpatia quase incondicional pelo mestre.

Uma das reflexões bobinhas que o Feitosa costumava fazer era sobre o Windows. Dizia que o sistema o deixava maravilhado, pois todas aquelas janelas se abrindo para ele eram uma coisa linda!

A tal simpatia advinha meio que do fato de o professor não perceber o sentido daquele “putz”. Ele ficava tão imerso em suas reflexões líricas, que não via que o aluno o estava sacaneando. Aquilo foi uma das minhas primeiras experiências envolvendo a percepção desse abismo que separa o ser humano elevado (ainda que, no caso, tratasse-se apenas da “elevação” de um homem idealista) do sujeitinho imerso no fluxo da sociedade, com suas regras e padrões do que é aceitável ou não, de qual trocadilho é engraçado ou não etc etc.

Advertisements

Read Full Post »

Ninhariando

Ah, a irrefreável urgência das questões do mundo, essa aparência das aparências, manifestação fenomênica ansiosa de entidades factuais quase conscientes da sua profunda desimportância. Pagar uma conta, dar um telefonema, resolver um litígio comercial inesperado (inesperado?) etc etc etc etc etc. Por semelhantes ninharias, quantas vezes não abandonamos os fins últimos do existir? Pelo simples desviar da mente ao fluxo do cotidiano, quão difícil parece o mero atinar com a morte última!

“Eu vou morrer um dia. Pode ser hoje!”

“Ai, deixe de ser lunático! Você tem que ligar para a GVT. Eles estão cobrando uma conta que já pagamos!”

Read Full Post »

%d bloggers like this: