A cafajestização por meio de palavrões

Confesso que até eu me surpreendi com a criatividade intelectual do Caetano. O discurso que ele gaguejou depois do Mano Brown é de uma lógica sui generis. Segundo o cantor, “filósofos que falam palavrão” hipnotizaram e imbecilizaram durante décadas a população brasileira, criando assim uma cultura do cafajeste (foi a “cafajestização” da sociedade). Os brasileiros, então, passaram a crer-se cafajestes e, conseqüentemente, a acreditar que precisam ser representados por um cafajeste na presidência. [Pausa para gargalhadas.]
O raciocínio possui, confesso, uma certa relação com o que aconteceu de fato – uma relação analógica, eu diria; meio que por oposição, meio que por simbologia, meio que por psicologia. Caetano tem, ao menos, o mérito de ter tentado entender “com sua própria cabeça” o que aconteceu, ao contrário dos petistas. Pena que sua cabeça é ruinzinha que só!

Advertisements