Às margens dos rios da Babilônia

Esta é uma amostra ínfima do que estamos perdendo por nos isolarmos da cultura russa contemporânea.

 

Advertisements

O animal político e sexual (The Political and Sexual Animal)

[Eugene Rose] also wrote further on the use of sexuality as an “impersonal force” by which to govern man: “Just as modern man has been made into a ‘political animal,’ so he has been ‘sexualized’ – brought to an awareness of and preoccupation with sex that is proving to be another disintegrating force upon him.”

Tradução:

 

‎[Eugene Rose] também escreveu sobre o uso da sexualidade como uma “força impessoal” pela qual o homem pode ser governado: “da mesma forma que se transformou em um ‘animal político’, o homem moderno também foi ‘sexualizado’ – tornou-se vítima de uma consciência e de uma preocupação constantes em relação ao sexo, o que tem-se revelado como mais uma força desintegradora a agir sobre ele.”

Aqui.

 

Comunhão

Eu:  “Na Igreja Ortodoxa a pessoa tem que ter confessado para poder comungar.”

Minha mãe: “Mas na Católica também.”

Eu: “Hoje em dia qualquer um entra na fila e o padre dá a hóstia.”

Minha mãe (que não vai a uma missa há uns trinta anos): “É mesmo? Nossa! Então as coisas mudaram muito, hein?”